Fazendo alusão à chegada em nosso país, dos missionários batistas pentecostais, Duncan A.Reilyl junta a seguinte observação: “…Luigi Francescon narra como este fundou a Congregação Cristã no Brasil (1910), enquanto escritos de Daniel Berg e Gunnar Vingren relatam a implantação da Assembléia de Deus em 1911 (documento 3.6.3.). Entretanto, ao lado do pentecostalismo clássico, oriundo dos Estados Unidos, surgiu, em 1932, da Igreja Adventista do Sétimo Dia, no Recife, a Igreja Adventista da Promessa (1932)” (História Documental do Protestantismo no Brasil, ASTE, 1984, p. 379). Sim, a Igreja Adventista da Promessa figura no cenário evangélico nacional como a primeira igreja pentecostal genuinamente brasileira, uma vez que as duas outras mais antigas a que já fizemos menção, chegaram aqui provenientes de outro país.

A Igreja Adventista da Promessa é o resultado de uma oração feita com fé. E por ser a primeira igreja evangélica pentecostal e sabatista no Brasil, tem uma importante missão a cumprir: cultivar e expor todos os ensinamentos bíblicos relativos ao batismo com o Espírito Santo e os dons espirituais, assim como ao que concerne à vigência da lei de Deus. Estas duas vertentes da doutrina cristã configuram as condições necessárias às boas relações entre o crente e Deus, pois enquanto o batismo com o Espírito Santo e os dons espirituais revelam a bondade do Senhor para com o crente, a obediência e sumissão à lei de Deus revelam o sentimento de reconhecimento e gratidão desse mesmo crente para com o Senhor; é a sua resposta às demonstrações de amor, bondade e misericórdia do Senhor. E isto inclui, necessariamente, o dever de testemunhar. Foi com essa missão que surgiu a Igreja Adventista da Promessa.