Oremos pela família do Pr. José de Barros, da IAP em Vila Medeiros (SP)

Uma vida marcada pela dedicação

 

É com grande pesar que noticiamos o falecimento do pastor José Francisco de Barros, neste dia 21 de abril de 2013. Foram 84 anos de vida. Homem de uma conduta impoluta, portador de uma sofisticada simplicidade e de uma história que influenciou muitas pessoas durante o seu extenso ministério. Palmilhou a carreira cristã com lisura, perseverou na fé, dormiu em Cristo e aguarda a ressurreição dos justos. Viveu 63 anos ao lado de sua querida esposa, Dsa. Severina Mendes Barros. O Senhor lhe concedeu seis filhos, dez netos e quatro bisnetos, além de dois genros e duas noras.

Tornou-se membro da IAP ao ser discipulado pelo Pr. Junilio da Silveira, e foi consagrado a presbítero no dia 15 de janeiro de 1960. Exerceu o pastorado em diversos campos, entre eles, Marília e cidades vizinhas, Fernandópolis e cidades próximas, Vila Medeiros, Edu Chaves, Itaim Paulista, Cumbica, São Caetano do Sul, São Vicente, todas no estado de São Paulo, além de Dourados (MS) e Rio de Janeiro.

O que a família, colegas de ministério e membros dizem a seu respeito? Que era cuidadoso na elaboração de seus sermões, que teve ministério frutífero e abençoado, que a sua vida ministerial pode ser resumida com a palavra dedicação. Um bom companheiro, amigo, atencioso, amoroso, sábio, tinha um jeito especial de tratar as crianças, tomando-as no colo com carinho, ou comprando caixas de chicletes para agradá-las. Muitas pessoas foram salvas e edificadas na fé através do seu ministério.

A morte física é uma das realidades humanas, mas não é a autoridade final de nossa existência. Lembremos o que diz a Bíblia: Porque, assim como por meio de um homem veio a morte, assim também por meio de um homem veio a ressurreição. Assim como, por estarem unidos com Adão, todos morrem, assim também, por estarem unidos com Cristo, todos ressuscitarão.” (I Co 15:21,22 NTLH).

Assim como Cristo ressuscitou pleno de vida e poder dentre os mortos, cremos que o pastor Barros também vencerá as ânsias da morte pelo poder de Deus, ao toque da última trombeta para estar com nosso Senhor para sempre: “Porque haverá o grito de comando, e a voz do arcanjo, e o som da trombeta de Deus, e então o próprio Senhor descerá do céu. Aqueles que morreram crendo em Cristo ressuscitarão primeiro. Então nós, os que estivermos vivos, seremos levados nas nuvens, junto com eles, para nos encontrarmos com o Senhor no ar. E assim ficaremos para sempre com o Senhor (1 Ts 4.16,17).

Que o Senhor Deus abençoe a família Barros, e lhes dê a esperança do reencontro no dia glorioso do retorno do Senhor Jesus Cristo.

Pr. Josiel Euzébio Peixoto, da IAP em Vila Medeiros (SP)

Compartilhar

Tags